quarta-feira, 29 de julho de 2009

A ansiedade da separação! Dor no coração!

Pessoal,
Esses últimos meses tenho tentado retomar minha vida profissional, que não existe desde os 6 meses de gravidez das minhas filhotinhas. E agora, estou voltando a atender como psicóloga numa clínica e ainda estou providenciando um emprego fixo, pois pretendo trabalhar com os dois. Mas a medida em que percebo que vou voltar a trabalhar como todos os mortais, também percebo que vou ser obrigada a me separar das minhas pequenas, do dia-a-dia com elas, das brincadeiras, das novidades, dos choros sem motivo, das resmungações que parecem ser conversas, do riso quando eu faço uma careta, das palminhas e dancinhas quando a gente canta e tudo de gostoso que é estar com a Bia e a Júlia! Ai, que dor no coração em pensar que elas terão que ficar com pessoas estranhas, num ambiente estranho, sem a mamãe do lado pra proteger, ninar e dar bronca... Sei que talvez pra elas não seja ruim, até deve ser bem legal, mas pra mim, mamãe coruja de primeira viagem, essa sensação é horrível!!! Sei que as horas que passaremos juntas ainda existirão mas serão beeeeeem menos do que agora...
O pior é quando todos os pensamentos piores começam a aparecer na sua cabeça: de que elas não vão ser bem cuidadas, que vão se sentir rejeitadas, que alguém vai esquecer de trocar as fraldas delas, ou de dar comida, ou deixar chorar sem ter porquê... Ai, ai, sai de mim pensamentos ruins!!!!
Bom, eu fui pra escolinha quando tinha um pouco mais de 1 ano, mas minha mãe teve que trabalhar quando eu tinha 3 meses e sobrevivi. Aliás, acho que deu tudo certo... pelo menos, eu espero.
Vou tentar deixar pra lá os pensamentos maus e me focar nos benefícios que essa separação pode trazer pra elas e pra mim, afinal todas nós estaremos vivendo novas situações e emoções e estaremos nos desenvolvendo e crescendo a partir delas.
Torçam pela gente! Ah, e se alguém tem uma dica pra dar nesses momentos que antecedem essa separação, por favor, passe pra mim!!!
AAAAAAaaaaaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhh!!!!!
PS: Devo dizer que apesar dessa sensação, a idéia de voltar a trabalhar me deixa extremamente feliz! Me sentir útil, ter dinheiro, estar em outros ambientes pra mim tenho certeza que vai ser ótimo!

sábado, 18 de julho de 2009

Tem dias em que me sinto assim...

Acho incrível como as coisas me afetam...
Agora mesmo estava pensando em escrever um post lindo falando sobre os 10 meses das minhas filhas. Mas acabo de ler um outro blog que falava sobre a tv e novamente entrando na questão de prejuízo intelectual e comportamental para as crianças. Eu já tinha lido sobre isso e nao digo que tirei a tv de cena, apenas reduzi o tempo. Mas fico me sentindo menos, quando vejo que talvez nao esteja fazendo a coisa certa. Me sinto mal... Depois procuro me justificar, pra mim mesma, e mesmo assim não melhoro meu astral. Gostaria de ser perfeita e fazer coisas perfeitas pras minhas filhas, mas não chego nem perto disso! Minha casa está uma bagunça e minhas filhas dormem nesse momento e em vez de eu ir arrumar a casa, lavar ou passar as roupas, fico aqui me entretendo na internet. Será que estou errada? Algo fica martelando na minha cabeça, falando: vai fazer as coisas! E, bom, acho que vou ter que fazer mesmo, apesar de estar ansiosa por conversar, por sair, por me divertir...
Vou lá...
Foi só um desabafo...
Bjs a todos.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

A questão da amamentação

Aqui estão minha duas filhotas frente a dois peitos enooormes!!! Elas estavam com uns 3 meses...

Ok, pessoal! Agora vou falar sobre um assunto importantérrimo. Para tentantes, grávidas de primeira viagem e mães recentíssimas, aqui vão algumas dicas e lógico minha história sobre como foi a amamentação das minhas filhas.


Primeiramente, devo dizer que eu (preste bastante atenção: estou dando a MINHA opinião) não achei super legal o processo de amamentação. Até porque eu achava que isso era simples. Pra mim, a amamentação era a soma de um peito com leite e uma boca faminta. Que terrível engano o meu! Na primeira semana de vida das minhas filhas, percebi que não estava preparada para isso, ninguém tinha me alertado sobre o cuidado que eu deveria ter e eu me senti péssima, pois além da dor que ainda sentia da cirurgia cesárea, também sentia muitas dores quando minhas duas filhas queriam mamar e diga-se de passagem que elas só faziam isso e dormiam nos 2 primeiros meses. Elas mamavam a cada duas horas e ficavam uma hora cada uma no meu peito. Imaginem isso, só que com a sensação de que tinham pregadores se revirando no bico do meu seio!!! (Parece horrível??? Pois era assim que eu sentia! Apesar que diz minha mãe que eu sou muito dodói e pode até ser que ela tenha razão...)


Depois de me ver chorando, com o seio duro, dolorido e quente, além de ardendo, decidi que não ia mais acreditar que isso era normal e que o jeito era deixar o tempo passar (sentindo dor infinita!!!) como minha mãe insistia em dizer. Comecei a procurar na internet os jeitos de passar por isso com menos sofrimento. E achei, bastante coisa aliás, inclusive uns slides que mostravam o jeito correto de amamentar para não sentir dor. Graças a Deus!!!!


Comecei a passar um gelzinho milagroso no peito que me aliviou bastante, aprendi a fazer a ordenha manual, mas comprei também a bombinha e aprendi a usá-la delicadamente. Aprendi a amamentar deitada. Aprendi que se eu beber muita água nunca vai faltar leite pras minhas duas filhas. E depois de 2 meses de peitos doloridos, finalmente me acostumei!


Tenho orgulho de dizer que amamentei minhas duas filhas exclusivamente por 6 meses. Depois disso, comecei a introduzir mamadeira pra Júlia e tentei pra Bia, mas não consegui. Amamento a Bia até hoje, ela não aceita mamadeira! Mas ela já come comida, frutas e sucos. A Júlia amamentei até quando os dentes dela começaram a me morder, acho que foi até os 8 meses, mas dava mamadeira regularmente.

Sempre acreditei que o leite materno era muito importante pra criança e somente por isso que lutei contra minha dor e fiz o máximo pelas minhas filhas que não tiveram nenhuma doença e são fortes e saudáveis. Mas saibam que sinceramente se eu não acreditasse tanto nisso, não teria insistido. Por isso aconselho hoje as mamães a darem extrema importância para as informações a esse respeito antes de se verem sem saber o que fazer, chorando de dor.


Dicas do post:


1)Pesquisem bastante sobre amamentação e se preparem. Procurem no google: imagens sobre "pega correta" da amamentação.


2)Para as mães que pretendem trabalhar logo, não deixem seu filho rejeitar a mamadeira totalmente. Eu parei de dar mamadeira pra Bia e por isso ela não pega mais e isso me deixa preocupada quando a deixo longe de mim... preferia que ela pegasse a mamadeira numa boa...


3)Se você por um acaso não conseguir amamentar seu filho, não se culpe, faça o melhor que pode e seu filho vai se beneficiar do seu amor.

quinta-feira, 9 de julho de 2009

As duas engatinhando...

Bom, essa semana a Bia aprendeu a engatinhar, ou pelo menos, resolveu que deveria se exercitar mais...rsrsrs. A Júlia já estava engatinhando bem e continua, logicamente. Será que algum(a) de vcs pode imaginar como vai ser minha rotina daqui pra frente????? Eu posso. Já a estou vivendo...



Ela é assim:



"Onde vc vai?"



"Não pode ir aí!!!"



"Não põe a mão aí!!!"



"Tira isso da boca!!"



"Volta aqui"



"Júlia, pára de subir na sua irmã!!!"



"O que aconteceu?!" (eu correndo pra ver porque uma começou a chorar...)



Então, é mais ou menos isso. Apesar de dar mais trabalho ainda, fiquei muito feliz por elas estarem se desenvolvendo muito bem! No sábado, elas estarão completando 10 meses de vida e acredito que estão ótimas no seu desenvolvimento. Estão também lindas e saudáveis!



Já começo a planejar mais de perto o aniversário de 1 ano e fico orgulhosa de saber que estamos bem até aqui.







Júlia se apoiando pra levantar...




Bia felizinha!!!

Obs.: Fotos tiradas pela tia Iara!