terça-feira, 10 de abril de 2012

Em busca da felicidade

Olá para todos!
Hoje decidi escrever um post não somente sobre a maternidade ou as minhas filhas, mas sobre incertezas e questionamentos que eu de tempos em tempos me vejo e que afetam quem eu sou e como ajo como mãe. Neste exato momento, tenho vivido muitos conflitos e esses conflitos me puxam pra baixo de tal maneira, que muitas vezes acho que talvez não tenha amanhã... Mas daí lembro das minhas filhas, e isso me leva a duas saídas: tentar disfarçar tudo para que essas coisas não as alcancem ou me agarrar a idéia de que elas são a razão pra eu sair desses momentos de insegurança e mirar nas alegrias que elas tem a capacidade de me oferecer em pequenas doses, todos os dias. Dependendo do dia, do meu estado e da crise instaurada procuro a que consigo fazer melhor. Mas o que eu queria mesmo é estar sempre de espírito leve como o delas, pra poder curtir tudo que posso desse tempo, que tenho plena consciência que é curto, só que sou humana, não sou perfeita e realmente nem sempre consigo manter isso.
Hoje em dia, trabalho como professora, e a educação está em crise, meu emprego é até que bem remunerado, mas não é suficiente pra sustentar com conforto e tranquilidade minha familia de quatro pessoas. Meu marido está desempregado e vira e mexe, doente. Ele está estudando pra concurso, mas as dores que tem sentido não tem ajudado muito. Faço doces por encomenda, mas os pedidos não são muitos e eu também não dou conta se forem muitos, entra um dinheiro mas é pouco mesmo. Cuido das minhas filhas no período que me resta e sei que ainda falta muito de qualidade nesse tempo, muitas vezes estou cansada demais pra fazer o que acho que deveria ser feito... perco a paciência em boa parte do tempo com elas, e queria ser mais participativa, brincar mais com elas...são poucos os dias que consigo e sei que elas se divertem mais com outras pessoas... o que não acho ruim, afinal pelo menos elas se divertem com alguém... só queria também me divertir mais, sentir tranquilidade nos meus dias e acabá-los com a sensação de que fiz tudo que queria e podia.
Eu sei que nós, mães, nunca estamos satisfeitíssimas com o jeito com que somos com nossos filhos, sempre achamos que deveria ser melhor, mas puxa, como me sinto longe, às vezes, das minhas filhas...
Foi só um desabafo...
Estou como diz o titulo do post sempre em busca da felicidade e agora pouco li algo sobre isso que dizia que a felicidade existe em doses homeopáticas e que devemos estar sempre atentos a essas doses que se apresentam a nós de formas tão sutis. Quero sim reconhecer todos os pequenos momentos que aparecem e empilhá-los na minha lembrança pra sempre que eu precisar e nesse momento de crise, vou buscar isso, afinal é de pouco em pouco que as coisas acontecem. Tento não me esquecer que posso sim ser feliz mesmo em meio a turbulências. E é isso.

segunda-feira, 5 de março de 2012

É difícil, mas vai ficando melhor!

Oi pessoal!
Hoje vim dar uma olhadinha no blog e resolvi falar umas palavrinhas bem rápidas, pq já tá tarde e amanhã tenho que acordar bem cedinho...
As fofinhas já estão com 3 anos e meio e como sempre estão sempre ativas e aprontadeiras. Hoje quase não as vi, pois cheguei tarde do trabalho e só deu pra dar um banho e colocar pra dormir. Mas sabe, tem sempre algo pra te irritar, como a Júlia hoje resolveu do nada derrubar o iogurte no sofá, só por esporte e cuspir no chão, pra ver no que dava, além de enrolar pra jantar... ai ai... ainda bem que quem estava junto era o pai e eu não tive que me estressar com isso, mas me preocupa sim, como tudo que elas fazem ou deixam de fazer. Hoje estava preocupada logo cedo porque não tinha mandado pra creche o caderno que a professora pediu para fazer as atividades e a Bia me cobrou antes de sair: Mamãe, a tia precisa do caderno! É minhas filhas estão crescendo cada vez mais e mais e apesar das dificuldades, eu vou achando cada vez melhor, cada vez mais gostoso. Ás vezes páro e fico olhando pra elas brincando, e tento congelar a imagem na minha cabeça e no meu coração, pra quando estou longe delas, lembrar... ou contar algo divertido delas pra alguém... Eu adoro essa parte!
Sei que muita gente diz que filhos é como video-game, quanto mais vc passa de fase, mais difícil fica... Mas pra mim, até agora tem ficado é melhor. Gosto da independencia das minhas pequenas e da evolução delas nesse mundo. Sei que um dia, isso irá trazer separação, mas até lá, tentarei curtir o máximo!
Bjs a todos!

sábado, 7 de janeiro de 2012

Depois de mais de um ano sem postar... Meninas com 3 anos já!!!!

Olá!
Sei que faz mto tempo que não escrevo por aqui e até tinha esquecido do blog, ainda bem que ele não sai do ar por causa disso... Mas é que ando muito atarefada e não tinho tido tempo de sentar e realmente ficar escrevendo textos como eu fazia antes. Hoje em dia estou na minha rotina de super mulher (não me orgulho mto disso não, me canso demais), não que seja o ideal mas fazer o quê, a gente se vira nos 30 como diria o outro...
Hoje em dia, além de cuidar das minhas filhotas e da casa, ainda trabalho como professora de educação infantil da prefeitura e em casa trabalho fazendo doces por encomenda pra festas e desgustação em casa mesmo. Ou seja, jornada quádrupla. Então hoje, depois da minha cunhada levar minhas filhas pra passear, resolvi sentar um pouquinho e escrever algumas palavras.
As minhas filhas, Bia e Júlia, estão ótimas! Elas tem agora 3 aninhos (e 4 meses) e estão saudáveis, lindas e espertas. Muito espertas por sinal. E posso dizer que esse momento é delicioso!!! Isso porque elas estão descobrindo muitas coisas, aprendem rápido, já fazem suas teorias e explicam o que pensam pra gente e isso, cara, é muito legal. Elas já sabem dançar, cantar, fazem movimentos engraçados, repetem o que ouvem e brincam com outras crianças de uma forma só delas.
As duas estão se desenvolvendo com suas personalidades e seus jeitos bem diferentes. Aquelas diferenças que existiam continuam, pouca coisa mudou nesse sentido e elas sentem, fazem e pensam diferentes sim. Brincam e brigam muito. Mas tudo dentro do normal.
Agora elas estão querendo ser mais independentes e isso tb é legal, eu gosto pelo menos. O único problema é que começam a responder e a usar os aprendizados pra discordar do que eu e o pai dela queremos, mas faz parte né?
Vou colocar, uma foto aqui pra vcs verem como elas cresceram, mas continuam lindaaaaaaaaaassss!!!!rsrs.
Bjs.