terça-feira, 10 de abril de 2012

Em busca da felicidade

Olá para todos!
Hoje decidi escrever um post não somente sobre a maternidade ou as minhas filhas, mas sobre incertezas e questionamentos que eu de tempos em tempos me vejo e que afetam quem eu sou e como ajo como mãe. Neste exato momento, tenho vivido muitos conflitos e esses conflitos me puxam pra baixo de tal maneira, que muitas vezes acho que talvez não tenha amanhã... Mas daí lembro das minhas filhas, e isso me leva a duas saídas: tentar disfarçar tudo para que essas coisas não as alcancem ou me agarrar a idéia de que elas são a razão pra eu sair desses momentos de insegurança e mirar nas alegrias que elas tem a capacidade de me oferecer em pequenas doses, todos os dias. Dependendo do dia, do meu estado e da crise instaurada procuro a que consigo fazer melhor. Mas o que eu queria mesmo é estar sempre de espírito leve como o delas, pra poder curtir tudo que posso desse tempo, que tenho plena consciência que é curto, só que sou humana, não sou perfeita e realmente nem sempre consigo manter isso.
Hoje em dia, trabalho como professora, e a educação está em crise, meu emprego é até que bem remunerado, mas não é suficiente pra sustentar com conforto e tranquilidade minha familia de quatro pessoas. Meu marido está desempregado e vira e mexe, doente. Ele está estudando pra concurso, mas as dores que tem sentido não tem ajudado muito. Faço doces por encomenda, mas os pedidos não são muitos e eu também não dou conta se forem muitos, entra um dinheiro mas é pouco mesmo. Cuido das minhas filhas no período que me resta e sei que ainda falta muito de qualidade nesse tempo, muitas vezes estou cansada demais pra fazer o que acho que deveria ser feito... perco a paciência em boa parte do tempo com elas, e queria ser mais participativa, brincar mais com elas...são poucos os dias que consigo e sei que elas se divertem mais com outras pessoas... o que não acho ruim, afinal pelo menos elas se divertem com alguém... só queria também me divertir mais, sentir tranquilidade nos meus dias e acabá-los com a sensação de que fiz tudo que queria e podia.
Eu sei que nós, mães, nunca estamos satisfeitíssimas com o jeito com que somos com nossos filhos, sempre achamos que deveria ser melhor, mas puxa, como me sinto longe, às vezes, das minhas filhas...
Foi só um desabafo...
Estou como diz o titulo do post sempre em busca da felicidade e agora pouco li algo sobre isso que dizia que a felicidade existe em doses homeopáticas e que devemos estar sempre atentos a essas doses que se apresentam a nós de formas tão sutis. Quero sim reconhecer todos os pequenos momentos que aparecem e empilhá-los na minha lembrança pra sempre que eu precisar e nesse momento de crise, vou buscar isso, afinal é de pouco em pouco que as coisas acontecem. Tento não me esquecer que posso sim ser feliz mesmo em meio a turbulências. E é isso.

Nenhum comentário: